sábado, 7 de abril de 2012

“VOTO NÃO SE VENDE, SE DÁ”, PALAVRAS DE UMA IDOSA DO CONJUNTO VILA MARIA


Venho batendo contra a parede há algum tempo, tentando passar para o eleitor  Guamareense aqui nesse espaço que o voto é precioso, pois não se vende se acredita em uma ideia e se aposta nela, seja essa ideia da situação, oposição ou independente.

Hoje pela manhã, em quanto eu realizada uma reportagem sobre uma possível invasão de terreno no conjunto Vila Maria por moradores, ouvia com resignação uma figura que estava no local incentivando alguns moradores, este já criou raiz no poder, ou seja, “sai e entra prefeito e ele continua com os mesmos benefícios”.

Ocasião que esbanjou falácia dizendo que o que ganha eleição é dinheiro e poder, portanto o terreno era do povo e se era do povo quem tivesse condições construísse que em época de eleições ninguém derrubada não.

Ao terminar retirou-se e saiu dando risadas, ele tinha motivos de rir mesmo, o cidadão conhecido tem casas e carro locado a prefeitura, e apesar das regalias ainda critica veemente o governo no meio de vários moradores do conjunto, como se os moradores fossem cegos da realidade. Pasmem!

Uma senhora por nome Maria dos Navegantes que ouvia com a mesma resignação falou, quando a dita figura se retirou achando que tudo na vida é eterno, a saber:

“Que coisa triste ter quer ficar ouvindo isso, voto é uma coisa que não se vende, se dá”, afirmou indignada. “Quero saber até quando isso vai continuar nossa cidade nunca desenvolverá enquanto se praticar eleição com esse pensamento”, completou.

Aquela senhora de uns cinquenta e cinco para sessenta anos não é dentista, mas me deixou de boca aberta, não esperava ouvir isso dela. Ela ainda disse que seu voto era conquistado e não imposto, trocado ou comprado.

Que linda consciência daquela ansiã. De fato, enquanto se fazer politica pensando de forma escusa, jamais se governará para o povo. O político que compra mandato não tem como administrar, passa três anos juntando para pagar contar de campanha, um fazendo alinhavo para ganhar de novo para todo ciclo começar novamente.

Que o exemplo daquela senhora do conjunto Vila Maria sirva para os jovens e adultos desse nosso município, estado, enfim, do país. Oxalá a consciência daquela senhora se propaguem por todas as mentes.

Um comentário:

João Siqueira disse...

Desculpem, fiz os outros comentários porque achei que a foto era uma forma irônica de protesto, mas ao ler a reportagem emtendir e concordo com vocês: voto não se vende... E também acho que assim como tem punições para quem compra deveria existir para quem vende voto. O voto ainda é um dos poucos direitos "intransferíveis que o povo tem"!!!