sexta-feira, 13 de abril de 2012

SERÁ QUE O ABORTO DE ANECÉFALO É “DESCARTAR UM SER HUMANO”?


A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou nota a imprensa “lamentando profundamente” a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), onde foi autorizada a interrupção da gravidez em casos de feto com anencefalia.

A CNBB disse na nota que permitir o aborto nesses casos é “descartar um ser humano frágil e indefeso”.

“Descartar o ser humano”. Sabe a CNBB precisa em alguns casos rever suas opiniões. Qual a maior prova de amor? Deixa nascer um ser humano com a má formação no cérebro que nascerá como um vegetal, ou seja, sem vida, com quase que totais possibilidades de morrer logo na sequencia ao nascer ou interromper uma gestação que não dará certo e com certeza só trará sofrimentos a família? Será que uma criança que está sendo gerada com anencefalia nasce com vida?

Sou um cristão e reconheço que em muitos momentos a ciência trabalha contra a religião, mas acho que a permissão do aborto em casos de doenças como essa, é uma forma de se abreviar e ao mesmo tempo tornar menos traumático o sofrimento da família. Sei que é um assunto polêmico, mas foi à melhor saída.

Um comentário:

marcos fonseca disse...

Quantos seres humanos foram descartados no período da inquisição imposta pela a igreja católica?